Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos durante a sua navegação em nosso site.
Ao navegar, você autoriza a Seibt Máquinas a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades.

Aceito

Blog

Os plásticos que não serão reciclados

O que as últimas pesquisas e notícias apontam é que após a pandemia, tudo será produzido em plástico.

O caos gerado pelo Corona vírus despertou a atenção de pessoas do mundo todo para a prevenção da sua própria saúde e sua segurança dentro de casa.

Máscaras, roupas, luvas, termômetros e produtos “antivírus” são, em sua grande maioria, feitos de material plástico, assim como suas embalagens. Produtos esses que têm sido cada vez mais procurados e consumidos pelas pessoas em busca de proteção.

Mas além disso, para que possam funcionar, bares, restaurantes, escritórios e e demais estabelecimentos, abusam do uso de certos plásticos para cobrir de botões de elevadores a maçanetas no objetivo de evitar contágio.

A questão é que muitos destes plásticos utilizados são de difícil reciclagem, por obterem em sua composição diversos tipos de plásticos misturados a outros materiais.

A nova demanda desafia a indústria, assim como o Brasil em aumentar a sua capacidade de reciclagem de plásticos para acompanhar o aumento no consumo do material.